O Sindurb

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Pernambuco – SINDURB/PE, se destaca (entre diversas entidades sindicais brasileiras) como uma das mais atuantes na defesa dos direitos dos trabalhadores.

Em mais de 63 anos de existência, o sindicato já participou de inúmeras lutas em prol dos urbanitários e garantiu conquistas históricas para toda a categoria. Além disso, sempre exerceu um papel social e participativo em questões importantes do Brasil, nas áreas da economia, política e cultura.

O SINDURB/PE é o representante legal dos trabalhadores da CELPE, CHESF e COMPESA, como também, dos funcionários das empresas prestadoras de serviço nos setores elétrico, água e saneamento.

Confira abaixo um pouco da história do Sindurb/PE:

 

A grande mudança

 

Fundado em 20 de outubro de 1954, o Sindicato passou por dois momentos distintos e determinantes para os rumos da entidade.

De 1954 até 1979 a entidade esteve dominada por pessoas ligadas às empresas, aos patrões. O Sindicato paralisou após o golpe militar.

Era total a apatia e a desmobilização dos trabalhadores em virtude da ausência de luta por melhores condições de trabalho e por novas conquistas.

No final dos anos 70 havia uma grande agitação política e social em todo o País, que culminou com as grandes greves do ABC paulista entre os anos de 78 e 79.

Em Pernambuco, uma instituição sindical adquiriu um papel de destaque graças ao seu firme posicionamento, o Sindicato dos Eletricitários.

Nessa época, a entidade passou por sua maior transformação que foi eleger uma direção comprometida com a luta sindical, em 1980.

A partir daí, foram alteradas radicalmente a concepção ideológica e a prática sindical da entidade, que, por suas lutas e combatividade, alcançou a condição de referência do movimento sindical do Nordeste do Brasil.

 

A grande movimentação política

 

Durante toda a década de 80 o Sindicato foi palco de uma grande movimentação política, sendo quase obrigatória a participação de seus representantes nos principais movimentos do estado.

Em nossa entidade passaram Tancredo Neves, Lula, Miguel Arraes, Valdir Pires e inúmeras outras lideranças políticas nacionais e regionais.

 

Mobilização a toda prova

 

O engajamento em todas as ações desenvolvidas pelo Sindicato é uma das principais marcas da categoria urbanitária.

Confiantes em sua força, estes trabalhadores promoveram greves históricas em nosso estado.

Na CHESF foram responsáveis pela 1ª greve na empresa e no setor elétrico no período militar, em 1979. Já em 1990 promoveram a mais longa greve do setor, com uma paralisação de 32 dias.Dois momentos que estão guardados para sempre na memória dos chesfianos.

Na CELPE, foi marcante a greve que perdurou por três dias em 1979, que ficou marcada como a virada dos Urbanitários, e a paralisação de 1985, com uma adesão quase que total da categoria ao movimento.

Em 1982, foi realizada a primeira greve na COMPESA e no setor de saneamento do País, realizada ainda no período da ditadura, com duração de três dias e, que teve como uma das consequências a demissão de três compesianos, João Freitas, Francisco Rosenberg e Dergemilson. Porém, com luta e determinação, o Sindurb/PE conseguiu a readmissão destes trabalhadores.

 

Escola Sindical

 

Uma das principais tarefas das instituições sindicais é trabalhar a organização dos trabalhadores, estimular a discussão, debater as mudanças em curso e apontar tendências na conjuntura.

Para esse propósito, além de publicações específicas e especiais, edição de revistas e cartilhas, a entidade promove debates, encontros, seminários e congressos, como o 1º Encontro Nacional da mulher Urbanitária, realizada em 1991, na cidade de Carpina-PE.

Estes instrumentos de discussão e conscientização têm sido permanentemente utilizados no Sindicato, seja para discutir a melhoria dos serviços e a capacitação dos trabalhadores, seja para denunciar o sucateamento das empresas, a terceirização dos serviços e as ações de privatização.

Foi assim durante os anos 80 e 90 e o Sindicato tem mantido esta prática neste início de século.

Construímos toda uma jornada de luta e discussões em seminários, congressos e encontros buscando sempre repassar todo o teor das discussões para a sociedade e envolvê-la em nossas ações.

 

60 anos

 

Em 2014, o Sindicato chegou ao 60º aniversário buscando fortalecer as lutas dos trabalhadores da CHESF, CELPE e COMPESA e se preparando para os novos desafios.

A data por si só representa um marco na história do movimento sindical em Pernambuco e no resto do Brasil.

Poucos sindicatos conseguiram completar seis décadas de existência, sobretudo com um saldo de lutas positivo.

Na verdade, é possível contar nos dedos aqueles sindicatos que atravessaram as crises econômicas e políticas do País e que estão pisando a segunda década deste novo século prontos para os desafios presentes e futuros.

O Sindicato se capacitou para essas tarefas, em termos políticos e profissionais.

As gerações passadas nos legaram um compromisso de classe, firmado em cada campanha, consolidado em cada mobilização, concretizado no dia a dia da entidade junto aos associados.

Há muito tempo a atuação do Sindicato ultrapassou os limites da ação corporativa, integrando-se às lutas mais importantes dos brasileiros, no campo econômico, político, social e cultural.